quinta-feira, 28 de maio de 2009

Cante com a novela

Ok, vamos admitir que a novela Caminho Das Índias tem algumas características interessantes [ok de novo, eu assito (Y)].
Apesar de que na Índia da novela, todo mundo é bonito, limpo [não que os indianos sejam sujos...], fala português fluente [já repararam nisso??], que o rio Ganges é limpinho como um lago no vale dos unicórnios, e que a história é MUITO original, do estilo mocinho e mocinha se conhecem, se amam, se separam, se odeiam, se reencontram, se amam de novo e se casam no fim da novela com todas as coadjuvantes grávidas. Mesmo assim, dá para relaxar assistindo.

A pergunta que não quer calar é: o que quer dizer aquela música de abertura bizarra??
É por isso que o Pinguim aqui mostra aquilo que os begginers [obrigado terd] cantam alegremente. Vejam a tradução de BEEDI JALAILE [hein?]:

Sem cobertores
Sem lençóis
Sem cobertores
Sem lençóis
E este vento frio vem ao meu encontro
Sem cobertores
Sem lençóis
E este vento frio vem ao meu encontro
Está tão frio, pegue o lençol de alguém
Vá pegar um pouco do fogo da vida
Vá pegar um pouco do fogo da vida

Acenda seu cigarro
No meu coração
Como se houvesse um fogo ardendo
Acenda seu cigarro
No meu coração
Como se houvesse um fogo ardendo

Não deixe a fumaça sair de seus lábios, amor
Ah ha
Não deixe a fumaça sair de seus lábios, amor
Porque este mundo já está todo bagunçado

Acenda seu cigarro
No meu coração
Como se houvesse um fogo ardendo

Sem cobertores
Sem lençóis
E este vento frio vem ao meu encontro
Está tão frio, pegue o lençol de alguém
Vá pegar um pouco do fogo do forno do vizinho
Vá pegar um pouco do fogo do forno do vizinho

Sem culpa
Sem provas
Sem culpa
Sem provas
Sem cometer crime algum
Fui sentenciado à morte
Fui sentenciado à morte

Algum dia, me chame de tarde
Leve-me ao julgamento, me amarre à coleira
Me chame
Me chame
De tarde
Algum dia
Algum dia
Condene-me

Acenda seu forno
No meu coração
Como se houvesse um fogo ardendo
Acenda seu cigarro
No meu coração
Como se houvesse um fogo ardendo

Nem mesmo a ponta de uma faca
Nem a adaga se compara
Nem mesmo a ponta de uma faca
Nem a adaga se compara
Ela me mordeu de tal maneira que deixou marcas
Um agricultor pararia de colher
Oh, como você pode gostar de um bruto como eu?

Oh, querida
Você ficaria com um bruto assim?
Oh, minha amada
Você ficaria com um bruto assim?

Sem contar
Sem me chamar
Sem contar
Sem me chamar
Ele me acorda do sono profundo
De repente meu destino vem aos meus lençóis
E me alimenta com gengibre, vindo até mim

Acenda o carvão
No meu coração
Como se houvesse um fogo ardendo

Está tão frio, pegue o lençol de alguém
Ah, vá pegar
Ah, vá pegar
Vá vá pegar
Vá pegar um pouco do fogo do forno do vizinho

PS.um prêmio para quem imaginou a Glória Perez digitando no limewire "indian music" e baixando a primeira que apareceu para colocar na abertura...

terça-feira, 26 de maio de 2009

Beisebol MÁSCULO do Bronx

Bem-vindo à Terd Airlines! No tour de hoje, veremos uma das piores capas de jogos da história.
Apertem seus cintos, não conversem com o motorista e, caso as máscaras caiam, não entrem em PÂÂÂÂAÂÂÂÂÂÂNICOOOOOOOOOO...


Acima vocês podem observar um subtítulo um tanto quanto sugestivo: "It's Touch on the Streets" - se você for juvenil e não notar a maldade, não serei eu a monstra que estragará seus rodopios primaveris da infância, certo?

Ao fundo, todos podemos observar um abiente familiar de vidraças quebradas, latas de lixo tombadas... bem Bervely Hills mesmo...

À sua direita, você pode ver como seria Michael Jackson se ele fosse pobre e tivesse continuado negão. Talvez seja algum dos outos Jackson, os 5, vai saber... Alguém sabe o que aconteceu com eles depois que a banda acabou? Eu sei, eles posaram pra capas de jogos ruins.

Finalmente, no centro... o Grand Finale. Para essa cena espetacular, só posso fazer uma citação:



SHE'S A MAAAAAAAAANIAC, MAAAAAAAAAAAAAAAANIAC ON THE FLOOOOORRR!!!

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Lembra da Macarena?



É pessoal...nostalgia de vez em quando faz a gente lembrar de coisas um tanto quanto contrangedoras.

Lembram-se da Macarena? Bom, todo mundo que se conhecia por gente na década de 1990 lembra da Macarena (lembra sim, nem tente falar que não).

De vez em quando é legal relembrar o passado, de quando nós eramos crianças inocentes (ou como diz a terde, beeeem beginners)...o constrangedor é lembrar que todo mundo, alguma vez na vida, mesmo que inconscientemente, já dançou Macarena. Aquela dança que todo mundo parava no meio da festa, fazia filas e começava: um braço pra frente, o outro também, um na cabeça, o outro também, desce pra cintura, o outro também, e termina naquela rebolada (só as meninas, os meninos NUNCA faziam isso, heiuheiueueu)

Pra quem realmente não lembra da dancinha (ainda duvido que não lembre), confere aí o clipe (da época em que tocava na MTV, ou seja, há muuuuito tempo)

domingo, 24 de maio de 2009

Problemas no Banco

Meus caros amigos, caros amigos não porque senão vira propaganda, meus companheiros, opa... também não dá... Enfim, venho por meio deste post declarar a minha indignação com o atendimento ao consumidor brasileiro. Bancos, serviços de telefonia, de televisão e de internet, restaurantes, especialmente fast-foods, todos eles acham que você tem que aguentar o péssimo atendimento e ainda se dar por feliz porque eles estão fazendo o favor de te atender. E nessas tem que dar os 10% do garçom, e ficar apertando numerozinhos de opções que uma merda de uma máquina dá pra você.....Mas vamos a casos mais específicos...

Meu tema hoje são as agências bancárias. (alias, vale a pena lembrar que hoje estou me desvirginando no blog...ui..)

Eu tinha acabado de chegar a Bauru, tudo eram flores... ou nem tudo, mas vá lá. Meus pais foram embora depois de duas semanas inteiras aqui pra achar meu apê e coisas do tipo. Devido à distância, eles fizeram uma conta na agência X (juro que não conto que é a que tem um foguinho como símbolo e que tem um logo vermelho). Logo que eu fiz a conta, o gerente disse que como eu era estudante e provavelmente não ia passar muito tempo em casa, o cartão seria entregue lá na agência e que assim que chegasse ele ia me ligar pedindo pra ir buscar. Ótimo..
Ou nem tanto...
O cartão demorou séculos pra chegar e quando chegou adivinha? O gerente não ligou bosta nenhuma!

Foi pura coincidência que eu fui lá no banco, entrei na fila pra poder retirar dinheiro lá no caixa (único jeito de tirar dinheiro quando você num tem um cartão, pelo menos o único jeito que me disseram) e quando eu tava saindo com o dinheiro na mão, o gerente vira e fala “Ah, seu cartão já chegou, viu?!”
Mew, como assimmmmm??????
Ele me viu entrando (sei disso porque ele me disse oi) e em vez de me falar logo que o cartão já tinha chegado, esperou que eu tirasse todo o dinheiro da minha conta pra me dizer isso, e o pior, ele só me disse porque eu tava passando ali. Sabe-se lá quando meu cartão tinha chegado na verdade.
Resultado: peguei meu cartão e tive que entrar na fila pra depositar o dinheiro, ou seja, fiquei PUTA!

Bem, a senha do cartão já havia chegado na minha casa, então coloquei todo o dinheiro no cartão. Afinal, o que tinha de errado em ficar só com o cartão? Era inclusive mais fácil de guardar.
Isso aconteceu numa sexta-feira.

No sábado de manhã, resolvi que ia no supermercado, porque , bem... eu poderia dar a desculpa que as coisas da minha casa estavam acabando, mas vou ser sincera: eu simplesmente tava com muita preguiça de fazer comida...voltando ao assunto principal, quando fui passar o cartão pra pagar a compra da pizza (daquelas prontas, sabe?), a senha que chegou na minha casa dava como incorreta.Tentei duas vezes e desisti com medo de travar ou sei lá o que.

E agora? Fazer o quê? Tava completamente sem dinheiro por um fim de semana inteiro! Não que eu seja compulsiva por gastar ou qualquer coisa do tipo, porque eu não sou, mas e se acontecesse uma emergência e eu precisasse?
Bem, segundo resultado de toda essa história: eu fiquei MUITOOOO puta.
Segunda-feira, assim que eu fui pra facul e minha aula acabou, a primeira coisa que eu fiz foi ir ao banco, eu e mais três amigos.
Cheguei lá, o gerente tava atendendo uma pessoa e já havia outra esperando, então eu sentei e esperei.
Dali poucos minutos, o gerente deixou a pessoa que estava atendendo preenchendo algo, provavelmente dados para cadastro de cliente, e enquanto, rapidamente, atendia o cliente que estava na minha frente, virou e perguntou pra mim: “Oi Mirela, Tudo bem?!”.
Esse momento fatídico ficou marcado na história pelos meus amigos que, agora, toda vez que acontece algo que eu fico puta perguntam pra mim: “Tudo bem Mirela?” e eu digo, como eu disse pro gerente: “Não.”
Quando eu respondi isso, o gerente ficou meio atordoado, acho que não são muitas pessoas que respondem isso pra um desconhecido. Posso até imaginar: alguém chega lá, ele pergunta se está tudo bem e a pessoa responde “Não. Essa semana eu descobri que dar o cú não é gay e que meu cachorro não me ama.” (momento piadinhas internas sobre a aula de Filosofia)... voltando a história... o gerente, não contente com a resposta perguntou o que tinha acontecido e eu vomitei palavras, porque é isso que eu faço quando fico nervosa.
“Não ta tudo bem porque eu passei o fim de semana inteiro sem nada de dinheiro por causa de uma irresponsabilidade do banco que me deu a senha errada.”.
O gerente foi averiguar o causo, voltou com um sorriso sem graça no rosto e depois de me explicar que a senha que eu tinha recebido era a senha do cartão provisório que eu também deveria ter recebido pra não ficar sem cartão tanto tempo, mas que (adivinha?!?!?) eu não recebi, diz: “Nossa, eu entendo que você esteja brava, mas é muito raro isso acontecer.” . Tipo, como se esse depoimento fosse fazer com que eu me sentisse muito melhor por ter sido a azarada do ano com quem aconteceu isso.Ah nossa, já que é assim então tudo bem. Muito obrigada mesmo!


Por esse episódio descrito pelo Pingüim como um Quase Momento Amy Winehouse, deixo aqui minha crítica ao sistema bancário (mais especificamente da agência X citada) que exige tanta responsabilidade das pessoas, mas que não possui a mesma responsabilidade para com seus clientes mesmo depois de fazê-los passar por uma enorme burocracia para criar uma conta com a qual, no final das contas (com o perdão do trocadilho), eles que vão lucrar.

E tenho dito!

sábado, 23 de maio de 2009

Ursinhos Carinhosos

Não fiquem horrorizados. É uma coisa natural. A vaca da Fantinha (sem trocadilhos) curte, ué? Não pode? Eu acho muito digno.

Blogger diz: "Não faça uploads ilegais ou que contenham material obsceno. "

Terd responde: O que você considera obsceno? Pra mim são dois bichinhos fofinhos de pelúcia...

quinta-feira, 21 de maio de 2009

JooooooookeeeeeeeeeeeeeenPO!


- Oh, Fuck! Perdi de novo!

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Sexo no MSN




Seria bom se não fosse tão rapidinho...

terça-feira, 19 de maio de 2009

Tia Terd Ensina: Artista reconhecido



Sim, eu fui Picasso na vida passada, mas eu já sabia disso antes de vir pra Sanduiche-iche.
Éramos [4] lá de onde eu venho: Picasso, Van Gogh, Da Vinci e Dalí.

Tia Terd não vai ensinar, por agora, como se faz uma obra como Picasso fazia. Por enquanto, vou deixar todos admirando minha capacidade Picassística.
BABEM!

Sem comentários


A imagem é autoexplicativa. Dispensa comentários

Ou melhor...notem que ela é aprovada pela American Masturbators Association

oO³...sim, isso existe

UATARÉU!

[peguei do Não Salvo: www.naosalvo.com.br, um blog beeem legal hehieuheiue]

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Costinha diz: Sentimos muito pelo padre brasileiro

Sentimos muito pelo padre brasileiro, dizem produtores de animação da Pixar.
A nova animação da Pixar conta a história de um velinho que viaja em sua casa suspensa por balões.
A equipe de produção diz que o roteiro não tem nada a ver com a história do padre brasileiro Aderlir de Carli que morreu em seu homérico vôo de balões. A partir desses fatos podemos FILOSOFAR sobre dois assuntos muito peculiares.

1- Por que sentir muito pelo padre?! Pra quê tentar esconder que é cômica a demência desse grande concorrente ao prêmio Darwin (prêmio que consagra a morte mais idiota do ano) ? Ele merece uma placa da American Airlines por estar inventando um novo conceito de morte aérea!
E vão fazer uma homenagem para o padre! Vão abrir uma industria chamada...DE CARLI balões e emoções!

2- Os desenhos de hoje estão cada vez mais nonsense. Velhinho viajando em sua casa movida a balões? A cada dia os produtores de programas infantis alienam cada vez mais as crianças com animações dignas de uma viajem de LSD...aqui vai uma lista de tais graças:

· Fudêncio e seus amigos- Barata falante, menininha com voz de homem e boneco que mia? ... Preciso falar alguma coisa?
· Scooby-Doo - Um casal que sempre sai junto e nunca aparece, dois maconheiros sempre de larica e uma mina mal-amada... Procurando monstros? Eles deveriam estar procurando,respectivamente, um motel..uma boca de fumo e...um FALO =]
· Barney - DINOSSAURO ROSA?
· TELLETUBIES - de novo, de novo?

Olhando essas genialidades do mundo moderno chego a uma conclusão...Que falta faz o bom e velho castelo Rá-Tim-Bum!

Enquete maldita da porra



Reparem bem: 45% votaram na primeira opção, 9% na segunda, 38% na terceira e 6% na quarta. Ao todo, 98% de votos.
E os outros 2%? Não sabiam? Preferiram não opinar?
Maravilhoso mecanismo de contagem de votos!
=D


INTERVEÇÃO DA TERD - HABEMUS BLOG! -
Pois então, crianças.. invadi o post do Alf (malz, Alf) pra não ter que postar de novo com o mesmo assunto. A enquete foi encerrada hoje, e o NÃO (seja ele a favor da simplicidade ou da tosqueira mesmo, rs) venceu de lavada. O Blog Maldito da Porra continuará do jeito que está. Quem decidiu foi a enquete e às barbas da democracia. Você votou no sim? LOSER!
=D

Marli

A Marli é mais uma das grandes revelações da internet! Confiram aqui seus maiores sucessos: Bertulina e Linha direta!





Para mais informações sobre a Marli, consultem:
http://desciclo.pedia.ws/wiki/Marli

Sessão vídeos fantásticos: Apache - Tommy Seebach



Mais um vídeo fantástico e altamente enriquecedor. Tommy Seebach (quem?) dança com "índias" apaches no meio da floresta!

Detalhes relevantes: onde diabos eles ligam a aparelhagem?? Detalhe também para a barraquinha do gugu, de onde as "índias" saem. E o sorriso de extrema felicidade dele quando ve as pseudoíndias...

Fora a coreografia revolucionária...não chega a ganhar do "I wanna love you tender", mas é fantástica.

Ou seja...BIZAAAAAAARRO

O novo rei do pop!

Que letras! Que melodias! Que harmonias!
Senhoras e senhores, com vocêêêês... EDNALDO PEREEEEIRAAAAA e seus dois hits: What is the brother e Mulher contrariada!!!



domingo, 17 de maio de 2009

Tia Terd Ensina: Como fazer um Origami de Abigail

O som pode ser importante se você quiser reproduzir (ui) esse origami em casa (é bem difícil de conseguir...). Se você só quiser ver como se faz nem é necessário ter som.




Crianças, este vídeo pode ser impróprio para pessoas que não conhecem o objetivo do origami em questão. Não tem graça se você não puder identificar, sim? Portanto, os mais juvenis podem pular esta lição e voltar a ela posteriormente. É importante que voltem mesmo, ok?

Pois bem, hoje, Tia Terd ensinou como você pode fazer um origami de Abigail. Até o próximo Tia Terd Ensina, o qual trará mais alguma coisa muito importante para as suas vidas.


(se você não entendeu qual é o da Abigail, busque o post "Tenta sim, vai ficar ótimo!")

sábado, 16 de maio de 2009

Tia Terd Ensina: Como ser um sucesso

"Minha vida era um lixo, eu era meio baranga, eu não tinha auto-estima, não tinha comida na mesa, não tinha casa e carro.



Na minha vida não tinham admiradores e telefones de contato, não tinha tapete de urso, não tinha TV de plasma, não tinha namorado jogador de futebol, não tinha casaco de pele ou 80 milhões de playboys vendidas, não tinha plásticas, implantes, viagens, cursos de etiqueta, tablóide com foto minha sem calcinha, não tinha flagra na praia fazendo topless, não tinha a bolsada no guarda que pediu pra ver documentos e depois disse que eu tinha uma celulite na coxa, ah, que maldito!
Resumindo, Urano nunca estava alinhado com Saturno na minha vida: Eu não tinha sorte no jogo e não tinha sorte no amor. Era uma coitada mesmo, sabe?



Foi aí que eu usei Wellaton , saí do Audi alugado com dinheiro emprestado do banco tomando um Redbull no centro da cidade, com um vestido preto igualzinho a um Dior que eu vi na revista e com um "Ray Ban" de camelô, disse em voz alta meia dúzia de palavras decoradas "in English" e já acharam que eu era o "ó".

No dia seguinte já veio um cara me querendo me agenciar, já marcou um monte de cirurgias, que eu fiz e fiquei gata, fiquei mesmo.









Muito obrigada, capitalismo!"

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Só pra registrar...

Tirei 10 no trabalho do Clodoaldo.

Tia Terd Ensina: Sessão Vídeos Fantásticos - I Wanna Love You Tender



O objetivo central da Sessão Vídeos Fantásticos é doutrinar vocês, queridos alunos, na admirável arte de apreciar os mais inusitados vídeos disponíveis. Depois que completarmos esta fase do curso, vocês serão grandes entendedores do assunto. Amém.

Uh, Tererê!

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Tia Terd Ensina: Como tomar uma bronca do Jair

São cenas fortes nas quais Jair, o Grande Editor do Mundo Perdido, dá uma pequena lição para Alf, o Juvenil: como não pôr o microfone na testa quando for locutar. Sim, queridos aprendizes, a lição da Tia Terd, é, na verdade, uma lição de Jair Jurassic Park.. mas somente desta vez, hein?

Seeeeeeeeeeeeeeeeensacional!

Definitivamente, entrou em Alf...

Ave Maria...

Eis que chegamos a mais um ponto bizarro na vida. Você, simples universitário, andando pela área destinada à alimentação, tranquilamente, sem nem pensar em nada... E BOOM, se depara com um anúncio... no mínimo curioso... no painel.




Coisa mais linda. Jesus: um ursinho carinhoso ou um revolucionário sangue no zóio?
Difícil responder, eu admito...
Agora, de onde essas pessoas tiraram essa reflexão? Eis a questão! Infelizmente eu descobri essa aberração da racionalidade quase uma semana depois do dia em que os idealizadores prometeram esclarecer a questão. Senhoras e Senhores, eu perdi essa. Quem sabe Tia Terd não descubra por vias próprias e não ensine a todos sobre como a coisa funciona? Esperem, HÁ!

Enfim... de um jeito ou de outro, não dá pra dizer que não chama a atenção, né?

[méritos para Alf, o ET que me contou que isso existia, e para mim, pela foto, haha]

terça-feira, 12 de maio de 2009

Quem tem medo?

Tem muita gente por aí que vive buscando fotos de coisas sobrenaturais, daquelas que deixam a gente meio nervoso quando vê. Pra você me entender melhor, vai aí uma foto dessas como exemplo.







Viu o fantasminha? Ok, isso é fácil de ver... ambiente escuro, fúnebre. Normal. Fantasmas aparecem mesmo. Quero ver mesmo você encontrar o fantasma nessa foto aí de baixo.










Tenho certeza absoluta de que você não viu nada a não ser uma mulher linda (Carla Bruni) e o bofe dela, presidente da França (Nicolas Sarkozy), na praia. Vou tentar ajudar.










Viu agora? Não?! Mas que lerdeza... lá vai o zoom, então.



CRENDEUSPAIVIRGIMARIA!!!!!

É, o senhor presidente da França tem um alienígena macho alojado no joelho. Ou estamos diante de um fantasma que se cansou das fotos assustadoras e quis ser brincalhão pra variar... Ou, sei lá, ele fez uma cirurgia plástica pra ficar com o próprio rosto no joelho... podemos chutar várias hipóteses, mas sem dúvida é assustador ver uma mulher bonitona como essa junto com esse joelho estranho em forma de presidente.

... O amor é lindo mesmo...





[retirado do Carro da Terd ^^]

Grupo Voca People

Depois de estar acostumado a ver tantos artistas fazerem seus shows cheios de playbacks e coisas do tipo, ví um dia desses na TV o grupo The Voca People.

Ok, um grupo de alguns cantores vestidos de branco, com a cara branca e uma touca de natação branca, parecendo uns espermatozóides cantantes. O que isso tem de mais??

Tem que tudo que eles fazem é com a própria voz. Pode acreditar.
Eles misturam beatbox com canto, criando um efeito muito bom. O mais legal é que fazem isso com músicas de artistas como os Beach Boys, Madonna, Michael Jackson e terminam com o já tradicional Move it (aquele do Madagascar, lembra?)

É só conferir




Wonarllevyston, aos 13 anos, consegue mudar nome na Justiça de MS

{Matéria do G1, com destaques e comentários cretinos. Parece enorme, mas o absurdo vale a pena.}

O cidadão brasileiro que quiser mudar o nome que o incomode, provoque constrangimento ou o exponha ao ridículo pode pedir na Justiça a alteração do Registro Civil. Esse foi o caso do estudante Wonarllevyston Garlan Marllon Branddon Bruno Paullynelly Mell (e outros três sobrenomes, que não serão citados para preservar o jovem, de apenas 13 anos). [Ok, então eles acham que o menino não vai ser identificado se eles não publicarem o sobrenome? Como assim?! Olha o nome dele!!! Tá na cara que não existe outro Wonar... Wonar o quê?]

A mãe dele, Dalvina Xuxa (e dois sobrenomes)
[que obviamente é uma fanfarrona], entrou com o processo de retificação de registro civil em Campo Grande, em abril de 2007. [A tia zoa o nome do próprio filho, e decide depois que vai mudar.. ótimo, muito bom mesmo...]

O juiz Fernando Paes de Campos, da Vara de Fazenda Pública e de Registros Públicos, autorizou, em agosto do mesmo ano, a mudança do nome do garoto, que hoje passou a ter um nome composto e dois sobrenomes.

Segundo o cartório de Ilha Solteira (SP), onde o estudante foi registrado, o atual nome dele, apesar da retificação, pernanece com Wonarllevyston. [E aí, aquele que sofreu desde o início com a criatividade materna, resolve mudar seu nome. Sim, ele está certo, esse nome constrange mesmo... Mas alguém pode me dizer o que leva uma pessoa que se chama Wonarll.. é, isso aí em cima mesmo, a querer manter esse nome mesmo depois de mudar o resto?! Eu nem consigo dizer o nome dele!!!!] A alteração do registro foi concretizada em setembro de 2007. "Este é um tipo de processo que não costuma demorar muito", disse o advogado Fabrizio Tadeu Severo dos Santos, que representou Dalvina e o filho na ação judicial.

Na sentença, o magistrado informou que o garoto disse que sofria constantes transtornos e constrangimentos, principalmente em ambiente escolar, durante as chamadas de presença em sala de aula. [Jura? Nem posso imaginar... "Tenório Soares Figueira?" "Presente!" "Wellington Parreira da Silva?" "Presente!" "Wonarllevyston Garlan Marllon Branddon Bruno Paullynelly Mell e outros três sobrenomes???" "Presente, professora..." Mas ele nem devia ficar tão envergonhado... podia dizer que mãe dele gostava muito do Dom Pedro primeiro, né? Ia ser um sucesso.. "Tenho 152 nomes, que nem o D. Pedro I, só que os dele eram comuns demais e os meus são únicos..."]

Ainda segundo a sentença judicial, o menino pediu que fosse mantido apenas o nome Wonarllevyston
[não entendo mesmo, sério...] , pois gosta dele e por ele é chamado por várias pessoas. [Isso é lá um motivo? Quer dizer que se eu me chamasse Vaginéria Maria Clitóris e Mais Dois Sobrenomes, e todo mundo me chamasse assim, não poderia mudar meu nome???]

"Hoje ele está feliz com o nome que tem.
[Até entendo.. ele se livrou de 5 nomes e um sobrenome.. mas Wonnarsófisley? Pelamordedeus...]

Na família, ele é chamado por Wonarllevyston.
[ família gente fina, não?] Na cidade, todos o chamam de Bruno", disse Dalvina Xuxa.

O juiz explicou ainda, em sua decisão, que a mãe escolheu sete prenomes e quatro sobrenomes de família para nomear o filho, mas não usou critério adequado, deixando de lado os sobrenomes que faziam referência ao pai do garoto, utilizando apenas os maternos. [Que dizer que se o paizão tivesse botado o sobrenome não mudariam o nome do coitado do Wonarllévsley?!]

Xuxa na Justiça [Como criar uma chamada imbecil para uma matéria, by G1]
Dalvina afirmou ao G1 que não gosta de seu nome e pretende mudá-lo novamente, já que acrescenteu, em 1999, o Xuxa em seu registro civil. "Me arrependi de colocar aquele nome todo para meu filho e de ter colocado o nome Xuxa para mim. Mas se eu puder, gostaria de mudar meu primeiro nome para Tina, pois não gosto de Dalvina. Ai que nome feio!", disse a dona-de-casa. ["Dalvina, ai, que nome feio! Mas Wonarllóklsonyr é lindo.. se eu fosse homem, gostaria de me chamar Wonarklévysson, como o meu filho... só que sem o Bruno.. Bruno, ai, que nome feio!"]

Ela disse ainda que vai pensar bastante antes de fazer a segunda alteração em seu nome. "Dá muita dor de cabeça com documentação, pois terei de mudar tudo de novo. Isso foi culpa da minha irmã, que me chamava de Xuxa porque eu tinha cabelo loirinho", afirmou Dalvina. [Essa mãe é uma fonte inesgotável de pérolas... "Meu nome é Dalvina Bunda, porque meu irmão me chamava muito de Cuzona quando eu era pequena, mas achei Cuzona muito feio, então coloquei Bunda mesmo... "]

A mãe de Wonarllevyston lembrou ainda que sua irmã, nascida Nadir, mudou o nome para Nádia. E o gosto por nomes diferentes é de família. "Tenho uma sobrinha com nome diferente também, tanto que nem lembro todos os nomes dela, só a chamo de Linda Junia" [Sabia!! Ela nem devia saber os 7 nomes do próprio filho!!!] . Segundo informações do Cartório de Registros de Ilha Solteira, a sobrinha de Dalvina Xuxa se chama Linda Blue Junia Sharon Mell Melina Marla Cyndi (e mais quatro sobrenomes). [É uma família unida mesmo.. todos têm essa fórmula Nome da família = (Fulanévyston Barango)³ "e Mais" X "Sobrenomes"]

Arrependida do exagero com o primogênito, Dalvina Xuxa disse que resolveu "pegar leve" para dar o nome da filha de 8 anos, fruto do segundo casamento. "Ela se chama Brenda, por pedido do pai, pois eu queria chamá-la de Vitória", afirmou Dalvina. [Tremenda sacanagem com o mais velho!!! Essa novinha devia ter, pelo menos, um nome estranho... como Valldilérya ou Brendisquérymma... Se eu fosse ela, mudaria o meu nome aos 10 anos, como apoio moral para o meu irmão...]

{tinha mais um monte de coisas na reportagem, mas eu desisti de pôr tudo aqui...}

Veja lista com pessoas que pediram para mudar o nome na Justiça de MS :
Altezevelte, Alucinética Honorata, Maxwelbe, Claysikelle, Maxwelson, Mell Kimberly, Wildscley, Frankstefferson, Hedinerge, Starley, Hezenclever, Uallas, Udieslley, Ulisflávio, Hollyle, Hugney, Necephora Izidoria, Kristofer Willian, Locrete,Venério, Walex Darwin, Yonahan Henderson, Maxwelson, Wochton, Wallyston, Waterloo, Wolfson
[O reduto da criatividade esse lugar, não? Tô doida pra ter uma lista telefônica de lá...]


{Reportagem de Glauco Araújo, tirada do G1 e devidamente editada por mim antes de botar isso aqui. Segue o link da reportagem na íntegra }

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Coisas do nosso Brasil

Tenta sim, vai ficar ótimo.

Foi assim que decidi, por livre e espontânea pressão de amigas, me render à depilação na virilha. Falaram que eu ia me sentir dez quilos mais leve. Mas acho que pentelho não pesa tanto assim. Disseram que meu namorado ia amar, que eu nunca mais ia querer outra coisa.
Eu imaginava que ia doer, porque elas ao menos me avisaram que isso aconteceria. Mas não esperava que por trás disso, e bota por trás nisso, havia toda uma indústria pornô-ginecológica-estética.
- Oi, queria marcar depilação com a Penélope.
- Vai depilar o quê?
- Virilha.
- Normal ou cavada?
Parei aí. Eu lá sabia o que seria uma virilha cavada. Mas já que era pra fazer, quis fazer direito.
- Cavada mesmo.
- Amanhã, às... Deixa eu ver...13h?
- Ok. Marcado.
Chegou o dia em que perderia dez quilos. Almocei coisas leves, porque sabia lá o que me esperava, coloquei roupas bonitas, assim, pra ficar chique. Escolhi uma calcinha apresentável. E lá fui.
Assim que cheguei, Penélope estava esperando. Moça alta, mulata, bonitona. Oba, vou ficar que nem ela, legal. Pediu que eu a seguisse até o local onde o ritual seria realizado. Saímos da sala de espera e logo entrei num longo corredor. De um lado a parede e do outro, várias cortinas brancas. Por trás delas ouvia gemidos, gritos, conversas. Uma mistura de Calígula com O Albergue.
Já senti um frio na barriga ali mesmo, sem desabotoar nem um botão. Eis que chegamos ao nosso cantinho: uma maca, cercada de cortinas.
-Querida, pode deitar.
Tirei a calça e, timidamente, fiquei lá estirada de calcinha na maca. Mas a Penélope mal olhou pra mim. Virou de costas e ficou de frente pra uma mesinha. Ali estavam os aparelhos de tortura. Vi coisas estranhas. Uma panela, uma máquina de cortar cabelo, uma pinça. Meu Deus, era O Albergue mesmo. De repente ela vem com um barbante na mão. Fingi que era natural e sabia o que ela faria com aquilo, mas fiquei surpresa quando ela passou a cordinha pelas laterais da calcinha e a amarrou bem forte.
- Quer bem cavada?
- é... é, isso.
Penélope então deixou a calcinha tampando apenas uma fina faixa da Abigail, nome carinhoso de meu órgão, esqueci de apresentar antes.
- Os pêlos estão altos demais. Vou cortar um pouco senão vai doer mais ainda.
- Ah, sim, claro.
Claro nada, não entendia porra nenhuma do que ela fazia. Mas confiei.
De repente, ela volta da mesinha de tortura com uma espátula melada de um líquido viscoso e quente (via pela fumaça).
- Pode abrir as pernas.
- Assim?
- Não, querida. Que nem borboleta, sabe? Dobra os joelhos e depois joga cada perna pra um lado.
- Arreganhada, né?
Ela riu. Que situação. E então, Pê passou a primeira camada de cera quente em minha virilha virgem. Gostoso, quentinho, agradável. Até a hora de puxar. Foi rápido e fatal. Achei que toda a pele de meu corpo tivesse saído, que apenas minha ossada havia sobrado na maca. Não tive coragem de olhar. Achei que havia sangue jorrando até o teto. Até procurei minha bolsa com os olhos, já cogitando a possibilidade de ligar para o Samu. Tudo isso buscando me concentrar em minha expressão, para fingir que era tudo super natural. Penélope perguntou se estava tudo bem quando me notou roxa. Eu havia esquecido de respirar. Tinha medo de que doesse mais.
- Tudo bem?
- Tudo ótimo. E você?
Ela riu de novo como quem pensa "que garota estranha". Mas deve ter aprendido a ser simpática para manter clientes. O processo medieval continuou. A cada puxada eu tinha vontade de espancar Penélope. Lembrava de minhas amigas recomendando a depilação e imaginava que era tudo uma grande sacanagem, só pra me fazer sofrer. Todas recomendam a todos porque se cansam de sofrer sozinhas.
- Quer que tire dos lábios?
- Não, eu quero só virilha, bigode não.
- Não, querida, os lábios dela aqui ó.
Não, não, pára tudo. Depilar os tais grandes lábios? Putz, que idéia. Mas topei. Quem está na maca tem que se fuder mesmo.
- Ah, arranca aí. Faz isso valer a pena, por favor.
Não bastasse minha condição, a depiladora do lado invade o cafofinho de Penélope e dá uma conferida na Abigail.
- Olha, ta ficando linda essa depilação.
- Menina, mas tá cheio de encravado aqui. Olha de perto.
Se tivesse sobrado algum pentelhinho, ele teria balançado com a respiração das duas. Estavam bem perto dali. Cerrei os olhos e pedi que fosse um pesadelo. "Me leva daqui, Deus, me teletransporta". Só voltei à terra quando entre uns blábláblás ouvi a palavra pinça.
- Vou dar uma pinçada aqui porque ficaram um pelinhos, tá?
- Pode pinçar, tá tudo dormente mesmo, tô sentindo nada.
Estava enganada. Senti cada picadinha daquela pinça filha da mãe arrancar cabelinhos resistentes da pele já dolorida. E quis matá-la.
Mas mal sabia que o motivo para isso ainda estava por vir.
- Vamos ficar de lado agora?
- Hein?
- Deitar de lado pra fazer a parte cavada.
Pior não podia ficar. Obedeci à Penélope. Deitei de ladinho e fiquei esperando novas ordens.
- Segura sua bunda aqui?
- Hein?
- Essa banda aqui de cima, puxa ela pra afastar da outra banda.
Tive vontade de chorar. Eu não podia ver o que Pê via. Mas ela estava de cara para ele, o olho que nada vê. Quantos haviam visto, à luz do dia, aquela cena? Nem minha ginecologista. Quis chorar, gritar, peidar na cara dela, como se pudesse envenená-la. Fiquei pensando nela acordando à noite com um pesadelo. O marido perguntaria:
- Tudo bem, Pê?
- Sim... sonhei de novo com o cu de uma cliente.
Mas de repente fui novamente trazida para a realidade. Senti o aconchego falso da cera quente besuntando meu Twin Peaks. Não sabia se ficava com mais medo da puxada ou com vergonha da situação. Sei que ela deve ver mil cus por dia. Aliás, isso até alivia minha situação. Por que ela lembraria justamente do meu entre tantos? E aí me veio o pensamento: peraí, mas tem cabelo lá?
Fui impedida de desfiar o questionamento. Pê puxou a cera. Achei que a bunda tivesse ido toda embora. Num puxão só, Pê arrancou qualquer coisa que tivesse ali. Com certeza não havia nem uma preguinha pra contar a história mais. Mordia o travesseiro e grunhia ao mesmo tempo. Sons guturais, xingamentos, preces, tudo junto.
- Vira agora do outro lado.
Porra.. por que não arrancou tudo de uma vez? Virei e segurei novamente a bandinha. E então, piora. A broaca da salinha do lado novamente abre a cortina.
- Penélope, empresta um chumaço de algodão?
Apenas uma lágrima solitária escorreu de meus olhos. Era dor demais, vergonha demais. Aquilo não fazia sentido. Estava me depilando pra quem? Ninguém ia ver o tobinha tão de perto daquele jeito. Só mesmo Penélope. E agora a vizinha inconveniente.
- Terminamos. Pode virar que vou passar maquininha.
- Máquina de quê?!
- Pra deixar ela com o pêlo baixinho, que nem campo de futebol.
- Dói?
- Dói nada.
- Tá, passa essa merda...
- Baixa a calcinha, por favor.
Foram dois segundos de choque extremo. Baixe a calcinha, como alguém fala isso sem antes pegar no peitinho? Mas o choque foi substituído por uma total redenção. Ela viu tudo, da perereca ao cu. O que seria baixar a calcinha? E essa parte não doeu mesmo, foi até bem agradável.
- Prontinha. Posso passar um talco?
- Pode, vai lá, deixa a bicha grisalha.
- Tá linda! Pode namorar muito agora.
Namorar...namorar... eu estava com sede de vingança. Admito que o resultado é bonito, lisinho, sedoso. Mas doía e incomodava demais. Queria matar minhas amigas. Queria virar feminista, morrer peluda, protestar contra isso. Queria fazer passeatas, criar uma lei antidepilação cavada.

sábado, 9 de maio de 2009

Momento Poético

" Batatinha quando nasce se esparrama pelo chão, nenezinho quando dorme põe a mão no coração."

Essa é para aqueles que gostam de poesia infantil, mas não tem coragem de assumir. Para os nostalgicos que sentem falta da beleza e da pureza dos versos antigos. E para os que não conhecem esse é o momento de apreciar a verdadeira arte popular.

Tia Terd Ensina: Como interpretar placas

Hoje, Tia Terd vai mostrar a vocês um pouco da magnífica arte de interpretar placas. Não tem erro, crianças, é só olhar a placa para saber o que ela quer de você!












Eu disse que era simples =D
P.S.: Nada pessoal, Pingüim... nada pessoal...

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Como, logo sou carnívoro.

Cá eu estou novamente, seres da floresta, para defender um ponto muito importante para a questão ambiental, tão suscitada nos assuntos sérios da atualidade.

Por que não comer carne? Cacete, carne é MARA!
E se não bastasse o valor nutricional, a ingestão de carne é muitíssimo importante para a manutenção do equilíbrio ecológico. Posso provar.

É um raciocínio bem simples: as plantas são capazes de fazer fotossíntese. Nesse processo, elas colaboram com a diminuição do gás carbônico na atmosfera, e, assim, ajudam a reduzir a velocidade do aquecimento global. Aí o que os vegetarianos fazem? COMEM AS PLANTINHAS! Isso é absurdo! Elas são ótimas na terra, vivas, verdinhas, felizes, fotossintéticas...
Com os bichinhos a coisa muda de figura. Cada vaca, por exemplo, peida cerca de 300 vezes por dia. Ela produz muito metano, e joga todo ele na atmosfera na forma de generosos flatos. Os peidos das vacas domesticadas produzem cerca de 30% do metano no planeta! Agora pensem comigo: se você COME a vaquinha, ela não vai contribuir com gases para o aquecimento global. Por que comer as plantinhas? Coma a vaca, esse ser vil e flatulento...

Pense no bem-estar do seu planeta!

Coma carne!

terça-feira, 5 de maio de 2009

Tia Terd Ensina: Estréia com Cinema

Hoje, na estréia do nosso Tia Terd Ensina, vamos abordar brevemente um assunto interessante, despertado numa conversa de nascimento obscuro sobre... cinemas pornôs. Sim, seres juvenis, estou aqui para esclarecê-los sobre os cinemas pornôs. Para isso, citarei o meu mais juvenil pupilo e igualmente colaborador desta página da porra: Alf.

- Mas pra que uma pessoa vai a um cinema pornô se ela pode ver o filme em casa?

Tenha piedade dele, senhor. Muito juvenil, muito beginner, dá Biotônico Fontoura pra ele, mãe! (me paguem pelo jabá)

Tia Terd vai ensinar aos pueris inocentes e sem malícia, de uma forma muito gentil. Lá vai:
Você pode perceber bem (caso já tenha tido que passar com frequência em frente ou dentro [ui] de um cinema pornô), em alguns casos os filmes ficam meses sem mudar. São os mesmos filmes. Iguais. Sem nada novo na tela. O FILME NÃO MUDA. Ãhn? Ãhn? Ãhn?
As pessoinhas, quando vão ao cineminha pornozinho, estão interessadinhas em fazer coisinhas.
Elas acham legal fazer coisinhas com pessoinhas que elas nunca viram e nem vão ver no escurinho. Sem nomes, sem rostos... Trocando em muídos: um monte de sexo casual variado com desconhecidos que não te ligam no dia seguinte porque você... ãhn.. teve um desempenho interessante.
"Dãrh, faz em casa!" É, com um desconhecido diferente a cada dia na sua casa? Aham. Te vejo na página policial, amigo...

MANCHETE: Alienígena Peludinho é assassinado e encontrado peladinho e com algemas cor-de-rosa em sua casa.

"Boooooa, Térde!"

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Primeiro Post da Porra

Weeeeell, pessoas malditas da porra, cá estamos... "nos inserindo na mídia" (ui, by Pingüim).
Como esse post é só o primeiro, foda-se o conteúdo, é festa..


ÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊ!!!
\o/




By terd_fanta