domingo, 24 de maio de 2009

Problemas no Banco

Meus caros amigos, caros amigos não porque senão vira propaganda, meus companheiros, opa... também não dá... Enfim, venho por meio deste post declarar a minha indignação com o atendimento ao consumidor brasileiro. Bancos, serviços de telefonia, de televisão e de internet, restaurantes, especialmente fast-foods, todos eles acham que você tem que aguentar o péssimo atendimento e ainda se dar por feliz porque eles estão fazendo o favor de te atender. E nessas tem que dar os 10% do garçom, e ficar apertando numerozinhos de opções que uma merda de uma máquina dá pra você.....Mas vamos a casos mais específicos...

Meu tema hoje são as agências bancárias. (alias, vale a pena lembrar que hoje estou me desvirginando no blog...ui..)

Eu tinha acabado de chegar a Bauru, tudo eram flores... ou nem tudo, mas vá lá. Meus pais foram embora depois de duas semanas inteiras aqui pra achar meu apê e coisas do tipo. Devido à distância, eles fizeram uma conta na agência X (juro que não conto que é a que tem um foguinho como símbolo e que tem um logo vermelho). Logo que eu fiz a conta, o gerente disse que como eu era estudante e provavelmente não ia passar muito tempo em casa, o cartão seria entregue lá na agência e que assim que chegasse ele ia me ligar pedindo pra ir buscar. Ótimo..
Ou nem tanto...
O cartão demorou séculos pra chegar e quando chegou adivinha? O gerente não ligou bosta nenhuma!

Foi pura coincidência que eu fui lá no banco, entrei na fila pra poder retirar dinheiro lá no caixa (único jeito de tirar dinheiro quando você num tem um cartão, pelo menos o único jeito que me disseram) e quando eu tava saindo com o dinheiro na mão, o gerente vira e fala “Ah, seu cartão já chegou, viu?!”
Mew, como assimmmmm??????
Ele me viu entrando (sei disso porque ele me disse oi) e em vez de me falar logo que o cartão já tinha chegado, esperou que eu tirasse todo o dinheiro da minha conta pra me dizer isso, e o pior, ele só me disse porque eu tava passando ali. Sabe-se lá quando meu cartão tinha chegado na verdade.
Resultado: peguei meu cartão e tive que entrar na fila pra depositar o dinheiro, ou seja, fiquei PUTA!

Bem, a senha do cartão já havia chegado na minha casa, então coloquei todo o dinheiro no cartão. Afinal, o que tinha de errado em ficar só com o cartão? Era inclusive mais fácil de guardar.
Isso aconteceu numa sexta-feira.

No sábado de manhã, resolvi que ia no supermercado, porque , bem... eu poderia dar a desculpa que as coisas da minha casa estavam acabando, mas vou ser sincera: eu simplesmente tava com muita preguiça de fazer comida...voltando ao assunto principal, quando fui passar o cartão pra pagar a compra da pizza (daquelas prontas, sabe?), a senha que chegou na minha casa dava como incorreta.Tentei duas vezes e desisti com medo de travar ou sei lá o que.

E agora? Fazer o quê? Tava completamente sem dinheiro por um fim de semana inteiro! Não que eu seja compulsiva por gastar ou qualquer coisa do tipo, porque eu não sou, mas e se acontecesse uma emergência e eu precisasse?
Bem, segundo resultado de toda essa história: eu fiquei MUITOOOO puta.
Segunda-feira, assim que eu fui pra facul e minha aula acabou, a primeira coisa que eu fiz foi ir ao banco, eu e mais três amigos.
Cheguei lá, o gerente tava atendendo uma pessoa e já havia outra esperando, então eu sentei e esperei.
Dali poucos minutos, o gerente deixou a pessoa que estava atendendo preenchendo algo, provavelmente dados para cadastro de cliente, e enquanto, rapidamente, atendia o cliente que estava na minha frente, virou e perguntou pra mim: “Oi Mirela, Tudo bem?!”.
Esse momento fatídico ficou marcado na história pelos meus amigos que, agora, toda vez que acontece algo que eu fico puta perguntam pra mim: “Tudo bem Mirela?” e eu digo, como eu disse pro gerente: “Não.”
Quando eu respondi isso, o gerente ficou meio atordoado, acho que não são muitas pessoas que respondem isso pra um desconhecido. Posso até imaginar: alguém chega lá, ele pergunta se está tudo bem e a pessoa responde “Não. Essa semana eu descobri que dar o cú não é gay e que meu cachorro não me ama.” (momento piadinhas internas sobre a aula de Filosofia)... voltando a história... o gerente, não contente com a resposta perguntou o que tinha acontecido e eu vomitei palavras, porque é isso que eu faço quando fico nervosa.
“Não ta tudo bem porque eu passei o fim de semana inteiro sem nada de dinheiro por causa de uma irresponsabilidade do banco que me deu a senha errada.”.
O gerente foi averiguar o causo, voltou com um sorriso sem graça no rosto e depois de me explicar que a senha que eu tinha recebido era a senha do cartão provisório que eu também deveria ter recebido pra não ficar sem cartão tanto tempo, mas que (adivinha?!?!?) eu não recebi, diz: “Nossa, eu entendo que você esteja brava, mas é muito raro isso acontecer.” . Tipo, como se esse depoimento fosse fazer com que eu me sentisse muito melhor por ter sido a azarada do ano com quem aconteceu isso.Ah nossa, já que é assim então tudo bem. Muito obrigada mesmo!


Por esse episódio descrito pelo Pingüim como um Quase Momento Amy Winehouse, deixo aqui minha crítica ao sistema bancário (mais especificamente da agência X citada) que exige tanta responsabilidade das pessoas, mas que não possui a mesma responsabilidade para com seus clientes mesmo depois de fazê-los passar por uma enorme burocracia para criar uma conta com a qual, no final das contas (com o perdão do trocadilho), eles que vão lucrar.

E tenho dito!

2 comentários:

  1. (8) They tried to make me go to rehab, I said no no no (8)

    Como não conheço nenhuma Mirela, a não ser uma lá de poços de caldas, vou fazer uma correçãozinha: o cara do banco disse: "Tudo bem, Fanta?"

    Bom, se eu estivesse junto, poderia ter te dado a jugular do seu gerente de presente de aniversário de casamento, maridinha... Embrulhada num papel vermelho com um foguinho, até =]

    ResponderExcluir
  2. acreditem...aquele dia eu tive medo dela
    oO

    um dia vc tem que falar do milkshake da rede de fast food X (nao me peça pra falar que é aquela concorrente do McDonalds, famosa por seus milkshakes de ovomaltine)

    ResponderExcluir

Sem palavrões aqui, PORRA!