sexta-feira, 3 de julho de 2009

Cultura a preço de banana

Hoje, sexta-feira, 3 de julho, percebi que cultura no Brasil é uma coisa que ninguém valoriza (ou quase ninguém).

Vamos aos fatos: estavamos eu, Alf, Fantinha e Lilo em um sebo, na Rua Antonio Alves, em Bauru. Eles estavam comprando alguns livros, e depois, eu, Alf e Fantinha iriamos comprar ingressos por espetáculo do Terça Insana.

Não, não estou criticando os sebos por venderem livros a um preço mais baixo, até porque são livros usados. Sebos são lugares pirantes! Enquanto em uma livraria você não sai com nada por menos de uns 30 reais, você pode fazer a festa com o mesmo valor em um sebo. E no caso do sebo que eu falei, é ainda melhor, porque os livros estão realmente novos.

Mas enfim, o pessoal estava olhando os livros, quando acharam umas 3 ou 4 edições de "O vermelho e o negro", de Stendhal, um dos clássicos recomendados pelo Bulhões [ou seja, é livro bom]. Os livros saiam por 4 reais cada. 4 REAIS!

Não, isso não é o ruim. É ótimo poder comprar um Stendhal por 4 reais, em um ótimo estado de conservação. O ruim, ou o péssimo, vem agora: junto ao balcão do caixa estava uma cesta com uns livrinhos bem inúteis, inúteis mesmo. Quando pego um na mão e vejo "Dicas de aromaterapia, por Ana Maria Braga". Ok, não critico quem lê esse tipo de coisa. O fato é que custava 3 reais. 3 REAIS!

Agora pare pra pensar: a diferença de preço entre um Stendhal e de um livrinho de aromaterapia da Ana Maria Braga era de 1 REAL.

Na boa, isso é demais. Sem comentários...

4 comentários:

  1. Sinta-se feliz; porque em Campinas o negócio é menos valorizado ainda!

    ResponderExcluir
  2. ah, eu tenho o livrinho de aromaterapia da ana...é mó bom...

    ResponderExcluir
  3. desconsiderem esse amandinha, minha conta do google é da fase pré-adolescente. hahaha

    ResponderExcluir

Sem palavrões aqui, PORRA!