terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Andanças bauruenses

[Sim, esse post é um Plantão Bauru em Férias. É que como ainda estamos no começo, e ainda temos 2 meses pela frente - UHUUUUUUUULLL! - eu resolvi usar outro nome]

Acredite, o centro de Bauru pode surpreender até mesmo um bauruense. Mas hoje eu não estou falando de mais alguma bizarrice divertida do calçadão. Hoje, voltando da auto escola, descobri um café muito legal, o Café Manila.

"Ah tá, um café. Se for só isso eu vou em algum do shopping" Calma que não é só por ser um café...

Para quem não sabe, ou não se lembra daquela aula de geografia do sudeste, Bauru se desenvolveu por causa das ferrovias. Por isso, a estação ferroviária de Bauru é tão grande [aquele prédio do "fora Geraldo", pra quem viu o nosso trabalho do Zeca]. E por isso, no centro existem vários hotéis que eram bem movimentados nos anos 1950/1960 e que hoje, pelo jeito, já não são tão movimentados assim. Alguns até são bem decadentes, outros ainda se preservam.

O legal desses hotéis é que a arquitetura deles é bem característica dessa época, o que faz deles prédios muito bonitos, quando conservados. [ficadica de uma reportagem]

Então, estava eu andando na rua 1º de agosto [dia do niver de Sandubacity], procurando uma banca de revistas para comprar a Rolling Stone de dezembro. Nessa rua tem uma banca com TODAS as revistas que você imaginar, é impressionante. Muito bem, comprei minha revista, saí da banca. Quando, ao lado do Hotel Alvorada, eu vejo "Café Manila". Entrei disposto a só pedir um expresso [um tanto viciado em café que sou], pagar e ir embora. Mas eu tive que sentar um pouco.

Primeiro que o lugar é muito bom. Imagine que você está no centro de Bauru, o povo andando na calçada, os carros buzinando, o calor do capeta, daí você entra num lugar quieto e fresco! Além disso, lá tem vários jornais e revistas pra quem quiser ler alguma coisa, ou só pagar um pouco de cult ["Pinguim, você comprou uma Rolling Stone e foi tomar café. Quem aqui pagou de cult?" ok ok, eu admito]. O melhor ainda estava por vir: 2 tvs de plasma passando clipes daqueles que todo mundo continua a música se alguém começar a cantar. Hotel California, por exemplo...

Sentei para tomar o café e ví que no fundo tinha uma escada em espiral de mármore e uma passagem lateral. Minha curiosidade de criança pentelha falou mais alto e fui ver para onde dava a passagem. Dava para a recepção do Hotel Alvorada. Daí eu percebi como aquele hotel é bonito, passo várias vezes por ele e nunca tinha reparado. É aquele tipo de hotel que não perdeu a beleza com o passar dos anos, só faltava um pianista e uma cantora de jazz para ficar perfeito.

Foi legal descobrir esse tipo de coisa na minha cidade. Acho que poucas pessoas param e percebem isso, enquanto andam pela 1º de agosto. Aí eu tive que voltar para a Rodrigues Alves e pegar o ônibus, voltar para aquele calor do capeta e para aquele povo lindo do calçadão...

Se algum dia alguém quiser, é Café Manila, na 1º de agosto [pegue o ouro verde, desça na rodrigues...]

Boas Férias =)

3 comentários:

Sem palavrões aqui, PORRA!